9.12.18

Da vida que acontece e o que não posso controlar

Eu sumi. Após uma decepção amorosa e o resultado das eleições, senti que eu precisava desconectar um pouco, tentar fechar os olhos para as coisas que não posso controlar, descansar a mente e reerguer meus sentimentos.

Passei a evitar o celular durante a noite, testei uma nova rotina para dormir, me entreguei com prazer às leituras e caí nas graças de Elena Ferrante – com atraso, admito, mas estava desconfiada de que fosse outra cilada editorial.

Me questionei bastante, ponderei sobre o futuro, senti a necessidade de um plano b, pus a mão na cabeça e me perguntei, admitindo minhas derrotas internas: “e agora?”.

Em breve, terei que seguir rumos que não me são agradáveis. Terei que caminhar um pouco mais, e por lugares tortuosos, para enfim chegar onde quero. E garanto que não tem sido fácil para a minha cabeça aceitar essas mudanças bruscas, como se pode ver neste texto confuso.

Resumindo. Moral da história. Novamente aquele velho conceito de dar um passo para trás, e então conseguir dois para frente.

Um comentário:

  1. Sinto muito que esteja tão ruim para você. Estar conectado em momentos assim pode ser péssimo, mas também pode ser ótimo para desabafar no blog. Espero que as coisas melhorem para ti — se não melhorar aquilo que é externo, que pelo menos você tenha paz e sabedoria para seguir em frente.

    Beijinhos.
    https://afoolishmistake.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Oi, tudo bem? :)