23.9.20

Pequenos acordos para salvar os dias

Durante uma conversa despretensiosa com Marcelo, alma pensante do Monocórdios e um desses amigos que a blogosfera me deu, comentei que a gente deveria escrever um texto até o final do mês. Quem sabe até dois, dependendo da nossa disposição.

Tanto tempo em casa e tenho me sentido acomodada, sedentária, deixando a vida para depois. Todos os dias digo para mim mesma que vou caminhar pelas ruas do bairro, mas acabo inventando desculpas e me convenço de que estou indisposta.

Às vezes abro meu arquivo de textos, penso numas ideias e logo em seguida desvio minha atenção para qualquer outra coisa que não seja forçar meu cérebro a escrever. Baixei um aplicativo de yoga na tentativa de alongar o corpo para aliviar as dores nas costas e, é claro, nunca fiz uma única posição.

Meu celular, pobre coitado, continua com a película quebrada porque tenho preguiça de ir numa loja comprar outra. Assim como outras coisas que preciso comprar, resolver, consertar, porém fico enrolando.

Fico nessa de esperar pela coragem, pela inspiração, por um empurrãozinho amigo para começar a fazer coisas que tenho vontade. Sei que essa sensação de preguiça e desconexão também está acontecendo com outras pessoas, algo perfeitamente normal num ano atípico como este. 

O que me incomoda nessa estagnação é a minha falta de energia para reagir. Por isso sinto falta de gente que me coloque para cima, que me incentive a melhorar e a sair desse sofá imaginário onde me afundei. E por isso esses pequenos acordos. Escrever um texto. Parar de me entupir de chocolate, como combinei com um outro amigo. Terminar minhas leituras dentro do prazo. 

Talvez seja apenas uma daquelas fases improdutivas no meio dessa montanha-russa chamada pandemia. O fato é que, para mim que sempre gostei de me sentir ativa, de cumprir tarefas, de me manter ocupada fazendo algo útil, não tem nada de "tudo bem" essa acomodação.

Um comentário:

  1. A minha rotina não mudou muito por causa da pandemia, não entrei em quarentena nem nada, por isso pensei que não estava sendo muito afetada por nada disso... Rá, que mentira! Não estou tendo muita disposição para fazer nada que não seja super necessário, e depois fico me culpando por isso.
    MAS JÁ ME DECIDI! Mês que vem vou mudar de vida (toda promessa só começa num mês novo para mim haha)

    ResponderExcluir

Oi, tudo bem? :)